terça-feira, 28 de agosto de 2012

Especialização em Educação Infantil


Bom, eu estou muito feliz, pois passei pelo processo seletivo da Especialização em Educação Infantil da UESC e resolvi compartilhar com vocês essa experiência.




O processo foi realizado em três partes. Análise Curricular, Uma carta contendo nossa justificativa sobre a especialização (3 laudas) e uma entrevista. Desse modo, resolvi disponibilizar a minha carta de intenções. Segue abaixo!!!


      Eu, STÉFANIE MOREIRA DE OLIVEIRA apresento abaixo, as razões teórico-metodologicas que justificam meu interesse em cursar a especialização em Educação Infantil:
      Chamo-me Stéfanie Moreira, tenho 24 anos de idade e sou graduada em Psicologia pela UNIME FACSUL. Estou em processo de finalização de uma disciplina de Fundamentos Teóricos de ideias linguísticas do Mestrado de Letras: Linguagens e Representações da UESC, na condição de aluna especial e posso garantir que o conhecimento nunca é o suficiente, sempre podemos chegar além do esperado e cursar essa matéria abriu minha mente e minha curiosidade para vários outros aspectos da comunicação que antes não me chamavam tanta atenção. Faço uma pós-graduação em Saúde Mental, numa instituição particular, além disso, sou professora no programa Universidade para Todos (UPT) e trabalho na área de Psicologia na cidade de Itapé.
      Atualmente, estou lotada na secretaria de saúde do município supracitado, que fica localizado a 30 minutos da cidade de Itabuna. Desenvolvo um trabalho de construção de relatório na área de psicologia a serem implementados no município e faço parte da equipe do programa saúde na escola, que ainda este mês estará tratando de vários assuntos, como, drogas, AIDS, demais DST, entre outros, utilizando uma espécie de feira ciências itinerante na qual serão expostos os temas apresentados anteriormente, bem como, apresentações do grupo de teatro que é formado pelos jovens das escolas do município. Tenho uma carga horária de 20hs semanais, desse modo, garanto ter a disponibilidade de tempo necessária para desenvolvimento da especialização em questão.
      De inicio devo salientar a minha paixão por crianças e por tudo que os rodeiam. Ainda não tenho filho, pois ainda não possuo as condições financeiras e psicológicas necessárias para garantir a criação que sonho para meu primogênito, porém, tenho uma sobrinha de nove anos a qual acompanhei seu desenvolvimento desde seu nascimento e tenho a certeza que uma educação escolar de qualidade é imprescindível para um crescimento saudável. Meu interesse progrediu ainda mais durante a graduação, pois a psicologia se interessa, explora, explica e constrói os estágios de desenvolvimento das crianças.
        Nesse contexto, além de várias matérias que abordaram esse tema (a infância) com riqueza de detalhes, fui ainda contemplada com estágios acadêmicos muito significativos em minha vida profissional e pessoal. Trabalhei voluntariamente no APAE Itabuna por seis meses, tive contato com crianças e adolescentes literalmente especiais por tamanha alegria e energia positiva, energia essa que me proporcionou um amadurecimento considerável. Na sequência, trabalhei voluntariamente no CRAS Itapé, onde acompanhei atendimentos, inclusive de crianças, por uma psicóloga bastante competente, o que me garantiu uma parcela da preocupação que hoje possuo quanto à educação infantil, pois muitas das crianças atendidas no município trás consigo um retrato de baixa escolaridade e grandes dificuldades de aprendizado. Posteriormente, trabalhei por dois anos no Centro Psicopedagógico de Educação Inclusiva (CEPEI) Itabuna, local que me garantiu a maior parte da experiência que hoje tenho e foi imprescindível para a quebra de alguns pré-conceitos infundados que possuía, além de me chamar a atenção para a importância da inclusão social.
      Desse modo, trago hoje em mim um sentimento de nostalgia, pois, ao concluir o ensino superior também se concluiu meu estágio no CEPEI. Assim sendo, tenho grandes esperanças e expectativas de algum dia voltar a trabalhar nesse local mágico, onde o trabalho se concretiza de maneira muito peculiar, e onde toda a equipe é tratada com respeito e trabalham juntos pelo ideal da inclusão social e assim, poder contribuir da melhor forma possível, agora não mais como estagiaria e sim, como profissional.
               Ao saber dessa especialização pelo site da UESC tive a certeza que essa era a minha oportunidade para realizar meu sonho de lutar pelo que acredito e lutar por uma educação mais harmoniosa e homogênea a todos. Tenho a certeza que esse ramo trás consigo grandes desafios, mas estamos constantemente lutando por algo, desde a nossa concepção, ainda no conforto de um ventre materno.  Minhas expectativas para com o curso de especialização é justamente alcançar a titulação mínima necessária para a inserção no campo da educação e assim, garantir o respaldo teórico necessário para opinar sobre a Formação de Professores na Educação Infantil, pois são esses que estão diariamente em sala de aula com as crianças.
               Ao atuar na educação, trabalhamos outras temáticas de maneira indireta, como, a exclusão social, o bullying que é hoje um tema bastante discutido, a formação individual e coletiva, ou seja, ajudamos a desenvolver os cidadãos do futuro, e se tratando de educação infantil, a diversidade dos temas é alargada, pois as contradições sociais são ainda maiores nesse estágio da vida. Infelizmente a ainda há uma diferença cultural e estrutural nas escolas infantis particulares e públicas e isso deve também ser uma preocupação dos professores, ao passo que essa diferença também reflete em sua remuneração.  Para se garantir uma educação de qualidade para as crianças deve-se priorizar o trabalho docente e reduzir ao máximo os problemas que se tornam um gargalo na fluência da educação brasileira. Além do mais, os problemas enfrentados hoje pelos professores, causam estress, irritabilidade, falta de paciência com as crianças que encontram-se numa fase na qual apresentam muita energia para ser externalizada, desse modo, cuidar da saúde social, econômica, mental e psicológica dos professores é imprescindível para melhorar a atuação dos mesmos em sala de aula.
               Outro ponto importante a ser salientado, é a importância de se voltar a formação dos professores para lidar com a nova realidade da escrita e da oralidade meio ao avanço tecnológico da contemporaneidade. Muitos dos alunos hoje, utilizam os recursos do computador, tais como, o Word, o Excel o Power Point entre outros, além dos recursos da  internet, principalmente os sites de relacionamento, e essas ferramentas não podem dificultar o processo ensino-aprendizagem e sim, caminharem juntos. Os professores devem ter uma formação voltada para aliar essas ferramentas ao processo de ensino, pois o avanço tecnológico pode dinamizar e contribuir de maneira positiva para o interesse do aluno para com as várias possibilidades de escrita e assim, da aprendizagem de modo geral.
               Por fim, a realização de matérias que me permitam a saciedade das minhas inquietações serão de grande valia não somente em meu currículo acadêmico e profissional, como também, serão uma conquista e fonte de crescimento e aprimoramento pessoal, desse modo, deixo aqui a minha aspiração em cursar essa especialização em Educação Infantil e desde já meu agradecimento por trazer para a região uma possibilidade de se discutir e rever a educação infantil em nosso país. 
                
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário